A OnlyFans suspende decisão de proibir sexo explícito a partir de outubro


O anúncio da empresa tinha preocupado milhares de criadores, que usam a plataforma para transmitir conteúdo adulto.

A plataforma OnlyFans, que coloca criadores de conteúdo em contato com possíveis assinantes, garantiu ter suspendido a sua decisão de proibir o sexo explícito a partir de outubro, a decisão tinha sido anunciada em 19 de agosto. A OnlyFans registrou um crescimento acentuado durante o confinamento, em grande parte graças aos milhares de utilizadores que a usaram para vender vídeos e imagens para adultos gravados ou transmitidos por eles próprios. 

A OnlyFans disse na sua época que a proibição da pornografia se devia às preocupações de banqueiros e investidores num momento em que a empresa procura novos investimentos, deixando confusos milhares de criadores.

Para acabar com a confusão a empresa escreveu a seguinte mensagem no Twitter:

“Obrigado a todos por fazerem suas vozes serem ouvidas. Obtivemos as garantias necessárias para apoiar nossa comunidade diversificada de criadores e suspendemos a mudança de política planeada para 1º de outubro. OnlyFans é sinônimo de inclusão e continuaremos a oferecer um lar para todos os criadores".

A OnlyFans esta sedeada no Reino Unido, tem dois milhões de criadores de conteúdo e 130 milhões de utilizadores registados, dos quais pelo menos sete milhões com assinatura mensal, de acordo com a Axios. A plataforma permite que os criadores cobrem entre 5 e 50 dólares por mês aos assinantes. Dos lucros, 80% vão para os criadores e 20% vão para a plataforma.

E para já uma coisa é certa o sexo explícito, pode continuar a ser um negócio lucrativo na plataforma.

Formulário de Contacto

Enviar

QR-Code Seguidor